domingo, 12 de abril de 2009

E tu Beijaroqueira, que dizes?

Hoje era Primavera. Cheirava às flores bonitas do jardim, ouviam-se os passarinhos do Avô que se perdiam na discussão entre a Avó e a Titi porque o Avô nunca mais chegava e já eram 13:30 e estava na hora de almoçar. Hoje havia discussões de quem era parecido com quem, que se perdiam nas gargalhadas altas tão típicas de toda a família - afinal somos todos parecidos, falamos e rimo-nos todos muito alto -. A Patrícia contava as novidades dos Açores, de como as Flores são uma ilha pequena e de como toda a gente se conhece - até descobriu que conhecia uma colega da faculdade da Mafalda, que a Mafalda não gosta muito porque andava atrás do namorado dela, mas isso já são as histórias da Mafalda -, a Mafalda citava as leis como quem cita um poema - afinal de contas ela está na faculdade para aprender alguma coisa, mas não quer ser advogada- para justificar qualquer coisa que alguém que já não me lembro perguntava, o Pinha, o Papá e a Mamã falavam sobre escola - quatro professores na família não dá descanso. Mas falta um..?- a Titi discutia com a Avó sobre o tempêro da comida, mas logo logo se juntou à discussão dos professores - sim, agora eram quatro. -, a Dona Graça estava sempre a tentar ajudar a levantar a mesa, e o Avô ouvia todas as conversas e de vez em quando lá mandava os seus palpites. Hoje havia trocas de mimos, e aí sim entro eu, que até então estava muito atenta a ouvir o que todos tinham para dizer e defender. O Avô apanhou-me muito calada e então chamou-me de "Beijaroqueira" - E tu Beijaroqueira, que dizes?- e eu não sabia o que era uma Beijaroqueira até a Mamã me dizer que é uma pessoa que dá muitos beijinhos. Mas a Avó disse que eu não sou só Beijaroqueira, porque eu além de dar muitos beijinhos, também dou muitos abraços. E então o Papá disse que eu não sou só Beijaroqueira nem uma pessoa que dá muitos abraços, eu sou uma pessoa que gosta muito, muito, de dar (e também receber) mimos, muitos, muitos mimos, mas que isso não fazia de mim uma menina mimada (apesar da Mamã dizer que sim). Depois,  o Papá e eu, enquanto esperávamos pela Titi e pelo Pinha à porta da Sapataria do Avô, estavamos no meio da rua a cantar "Alecrim, alecrim aos molhos, por causa de ti choram os meus olhos" a duas vozes, e quando chegou a Mamã começamos a cantar o "I like the flowers, I like the daffodils" em cannon, até que o Avô apareceu e ficou orgulhoso a olhar para nós. Agora, vamos para casa da Titi e do Pinha outra vez e eu e o Papá vamos tocar o Hallelujah para o Avô e ele vai-se emocionar, como se emocionou nos anos dele. E depois, a Patrícia vai continuar a contar as novidades dos Açores, e de como as Flores são uma ilha pequena e que conhece a rapariga da faculdade da Mafalda, que ela não gosta porque andou atrás do namorado dela, e a Mafalda vai continuar a citar a lei como quem cita um poema para justificar alguma coisa que alguém que eu não me lembro disse, e o Pinha, o Papá e a Mamã vão continuar a falar sobre a escola e a Titi vai continuar a discutir com a Avó sobre o têmpero da comida, até que se vai juntar à discussão dos professores, e a Dona Graça vai continuar a tentar ajudar a levantar a mesa, o Avô vai continuar a ouvir todas as conversas e a mandar os seus palpites de vez em quando. E eu, vou continuar atenta a tudo o que dizem, até o meu avô me apanhar muito calada e perguntar:
- E tu Beijaroqueira, que dizes?

5 comentários:

MafaldaMacedo disse...

digo que a Mariana continua um espanto nas palavras e ideias (:

Joana Éme. disse...

este está genial - emociono-me sempre que falas de família, porque me lembras de mim.

um mimo nesse teu coração, Mar.

Tani disse...

e eu sinto-me tão pertencente a essa tua familia as vezes :)

e tu és de facto, a Beijaroqueira :) (minha) beijaroqueira

baby piggy disse...

Tu não dizes, observas, escutas e pensas. E é bom ser introspectivo. Gostei sim *

Tani disse...

it's payback time!