sábado, 22 de agosto de 2009

Consequências da Ponte de Brooklyn.

Aprendi que todos os corações têm espaços: uns grandes, outros pequenos, uns fortes, eternamente ocupados e outros a feridos, vazios, a reciclar e reciclados. As pessoas pertencem a esses espaços. Passam dos pequenos para os grandes, ocupam eternamente os espaços ou abandonam-os, tornam-nos fortes e deviam ser poucas as vezes em que os tornam feridos. Há também espaços, os vazios - eu aprendi-, que mesmo vazios são ocupados. São ocupados pelas pessoas que não lhes pertencem, porque dói em qualquer coração ter um espaço vazio, e como tal, as últimas pessoas que ali pertenceram, são as que os ocupam, só para que o coração não doa tanto, mesmo que ali não pertençam. Aprendi que não devemos pensar demais sobre esses espaços, em breve serão novamente ocupados por outras pessoas, umas que pertencerão, e quem sabe não os deixarão vazios, mal ocupados. É bom quando nos lavam a alma, sabe a novo e a paz.
When you're crossing the Brooklyn Bridge, you forget everything and you just feel peace all around.

11 comentários:

*Ariel* disse...

O meu coração está cheio de espaços diferentes, cortes, feridas, nódoas negras, laçarotes, canções e muitas mais coisas tão estranhas que quando penso na imagem surge-me um valente troglodita disforme. Mas faz todo o sentido que todos tenhamos espaços - independentemente da forma como estão, ou não, ocupados. E é bom que tenhamos a capacidade de lavar a alma e o coração a nós próprios, por saber tão bem, like a deep deep breath, e é como se tivéssemos acabado de atravessar a Ponte de Brooklyn.

Beijinho:)*

Ana disse...

Sem a Brooklyn Bridge aprendi precisamente isso. Não vale a pena pensar demais sobre esses espaços pq, por muito magoado q o coração esteja, é jovem o suficiente para se reconstruir (ou reciclar, como escreves :) ). E o tempo cura tudo, verdade? :)*

Filipa disse...

não devemos pensar demais, com efeito...

"Também isto irá passar." aconselhou um sábio do oriente um rei a pensar, sempre que lhe surgisse um problema ou uma coisa muito boa. Assim não nos afundaríamos nos problemas e manteríamos os pés na terra qd algo bom nos acontecesse.

A sabedoria talvez seja isto...

:) love you

Rita. disse...

Eu acredito que devemos aprender com todas as 'reciclagens' que o coração sofre... Só assim o poderemos preencher novamente com as pessoas certas, as que não deixarão espaços vazios ou mal ocupados. :)

Rita. disse...

* [Desculpa a invasão! O teu espaço está mesmo queridoo!]

Joana Éme. disse...

Parece-me que voltou alguém com o coração limpo. Restabelecido de força e ordem. A mãe também anda em limpezas, já que não pode atravessar a ponte de Brooklyn e sentir somente paz e esquecimento.
Vou querer falar contigo de tudo, saber de tudo e contar-te tudo, meu amor.

Tenho saudades e amo-te, Mar. *

Débra disse...

E dançaste? :b
Espero que as pessoas que estejam a ocupar a grande parte do teu coração sejam as pessoas boas e que te querem bem :)
e também espero que só uma parte muito minima seja de pessoas que te façam magoar. Que seja 1% em 100 ou ainda menor :D
(e espero que numa parte mesmo que seja pequenina eu esteja lá marianinha *)

Matilde disse...

Adorei o teu blog!!
Acho que está fantático!!
Podes comentar o meu por favor?
Beijinhos!!

F. disse...

Oh menina :'D

P' disse...

O meu coração está ocupado por uma pessoa que se julga desocupa-lo.

Que belo texto.

U disse...

eu espero q os meus espaços se preencham, pq dói muito. :x *