segunda-feira, 22 de junho de 2009

Ele e Ela.

Ele tinha caracóis claros e muito desalinhados que se uniam à barba que escondia as bochechas. Tinha olhos verdes que viam mais do que o Mundo comum e levava no olhar os sonhos que ganhavam vida de cada vez que dedilhava qualquer coisa na guitarra e cantava para ela em qualquer lugar.
Ela tinha caracóis, escuros, mas muito definidos. Um sinal do lado direito do queixo e os olhos eram grandes e castanhos que viam mais do que o Mundo comum, viam a Arte em todo e por todo lado, principalmente nos olhos dele quando lhe dedilhava qualquer coisa na guitarra e cantava para ela em qualquer lugar.
Encontraram um no outro o verdadeiro sentido de Paz e Amor. Paz era o Mundo equilibrado em que vivam os dois. Amor era o que fazia saltar o coração dela já embalado por melodias que ele trauteava, e o coração dele de cada vez que se perdia nas aguarelas que ela pintava. Amor era o que os construía, o que se sentia só de olhar para os dois.
Eu tenho o sinal do lado direito do queixo como ela, os caracóis nem claros nem escuros, uns dias desalinhados e outros definidos, os olhos são verdes como os dele, e também carregam sonhos de um Mundo de Arte, Paz e Amor.

7 comentários:

Tani disse...

é por isso que eu sinto a paz e o amor quando vou a tua casa? AAAAH :)

F. disse...

Esse mundo existe :)


(Sonhaste comigo? :o)

Filipa disse...

Que bela hiatória de amor!
E que bela princesa nasceu desse amor!

Beijos para ti que cultivas a arte que percorre o teu sangue e que sonhas com um amor assim, porque assim é que deve ser!

Xi apertado!

disse...

que bonito : )

Xaninha disse...

É mesmo assim que eu gosto de me ver e de ver o Mundo, preenchido com Arte, Paz e Amor (:

Qel disse...

arte é o que tu escreves e basta.
Um beijinho *

~ Jessica disse...

tão doce Marianinha :)

aii, que maravilha *