sexta-feira, 17 de abril de 2009

Everything happens for a reason...

Todos os dias quando me vou deitar abro a gaveta da mesinha de cabeceira, que eu não tenho, e guardo lá todos os mimos, sonhos e desejos que trago no coração. E todos os dias eu olho para os mimos que já lá estão guardados e parece que os revivo, às vezes até deixo fugir uma lágrima ou outra, mas não me importo. Fico constantemente a sorrir enquanto deixo que todos os mimos me voltem a passar pela mente e me aqueçam o coração. Depois dos mimos, vejo os sonhos e os desejos, e aí tenho tantos, mas tantos... A minha sorte é que ocupam pouco espaço e a gaveta não se enche. Um dia, quando me ia deitar e abri a gaveta da mesinha de cabeceira que eu não tenho, reparei que já estava cheia e não cabiam lá mais mimos, sonhos ou desejos. Nessa noite não guardei lá nada, carreguei com os mimos, os sonhos e os desejos no coração, na noite seguinte voltei a não guardar, e na outra também, até que o coração começou a ficar muito, muito pesado, e também muito, muito apertado e eu já não conseguia mais. Voltei a abrir a gaveta da mesinha de cabeceira que eu não tenho, revivi todos os mimos, desejos e sonhos que tínhamos juntas e deixei fugir algumas lágrimas que não sei ao certo. Eu não era capáz de os tirar dali, eu não conseguia. Já estavam lá há tantos, tantos anos. Continuei mais uma noite sem guardar os mimos, sonhos e desejos que trazia no coração. No dia seguinte, o coração estava tão cheio que já nem gravava mais mimos, sonhos ou desejos, o coração estava cheio, pesado, cansado e triste. Nessa noite, voltei a abrir a gaveta, enchi-me cheia de força e vontade e tirei de lá quase todos os nossos mimos, desejos ou sonhos juntas e guardei-os numa outra gaveta, um pouco vazia (e ainda bem) - a gaveta das recordações quebradas e que doem. Foi como se me arrancassem o próprio coração, mas eu fui forte e eu consegui. Era o melhor, era o que eu e tu queríamos. Aqueles mimos, sonhos e desejos já não nos faziam parte, já não nos uniam como antes. Uns dias depois eu percebi porque é que tive de tirar aqueles mimos, sonhos e desejos da gaveta. A gaveta estava cheia, e não guardava mais nada, e para entrarem mais mimos, sonhos e desejos, era preciso tirar os que estavam lá a mais, e ambas sabíamos que eram os teus.
Depois disso entraram muitos mais mimos, sonhos e desejos que tu não chegaste a saber, e que eu posso dizer que quase de certeza que não entravam se os teus ainda lá estivessem. Uns foram bons e ainda lá estão mas tiveram de ser alterados, e outros foram ainda melhores e eu acredito que fiquem até muito, muito, muito tempo. Às vezes temos de dar espaço para que novos mimos entrem no nosso coração.
Eu continuo a acreditar que tudo acontece por uma razão, e hoje tenho tantos mimos, sonhos e desejos que o comprovam. It was meant to be.

There's an ocean in my heart,
I will never be the same.

5 comentários:

Tani disse...

que doçurinha baby :) gostei muito e fico táo contente que te vas descolando dos momentos que já nao pertencem ao hoje.

Beatriz disse...

As vezes tem mesmo que ser! O texto esta muito bom!
Beijinhos!

Nuno disse...

Adorei :) Ó Ilse, sempre te darei mimos :) Tu decides se os guardas ou não, mas quanto a mim não te preocupes....

Eu tenho de ir :P (If only I could)

Claudia disse...

Fantástico texto... só pode acontecer porque tens um ainda mais fantástico coração! Cuida bem dele e não permitas que sequer que entre quem não o sabe acarinhar no mínimo como merece ser tratado algo tão vital.
Beijinho.

Su disse...

oh bebé, escreves tão bem *.* (L)