terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Gente grande

Hoje quando entrei lá em casa senti o quentinho da lareira. Aquela lareira para onde eu atirei a chupeta no Natal porque dizia que já era grande, não precisava da chupeta, queria crescer. Na verdade, eu não cresci, assim que vi as chamas consumirem a chupeta, desatei num choro tão alto mas que não tinha sido suficientemente forte para a recuperar. E eu não cresci, eu não superei o obstáculo, eu era ainda tão dependente...
Hoje já não quero crescer, e assim que entrei lá em casa, parecia que ainda ouvia os nossos risos sinfónicos de miúdas pequeninas a chamar pelo Pai Natal, ou então aquele "Silêncio que nós queremos cantar!".
Oh Mamã diz-me que lá por entrarmos numa nova fase, não quer dizer que tenhamos já de largar a chupeta e crescer, crescer, crescer, ..., crescer tanto que ficamos como gente grande!

Quando cheguei a casa, fui fazer o chá quentinho que eu não dispenso, peguei na mantinha e sentei-me à nova lareira a ouvir o estalar da chupeta, o eco do meu choro, e todas aquelas recordações que tanta falta me fazem. E depois envolveste-me num abraço quentinho e eu pedi para que nunca fosses embora... :')

8 comentários:

Jo. disse...

falo-te antes da riqueza que é ter-te comigo, pode ser? :)

o chá, a lareira, a manta.
a anatomia de grey? ;D

talvez o dia 14 não tenha de ser deprimente, afinal.
nunca é, com amor.

Davi(d) disse...

fizeste este texto com sentimento, nota-se mesmo :D
beijinho *

Xaninha disse...

como custa crescer... e que bom que é termos um abraço para nos proteger quando somos obrigadas a isso :)

(gostei muito, mariana*)

MafaldaMacedo disse...

crescer custa bastante, quando somos pequeninos só queremos ser grandes. mas chegamos a uma fase que já não apeteçe crescer. e os motivos são tão variados, mas tão simples embora. Beijinha, adorei *

disse...

está TÃO bonito! mesmo!
beijinhos*

Filipa disse...

Tão linda, a minha Princezinha!... Cresce devagar, mas cresce... É belo crescer sem perder a memória da criança eterna!

F. disse...

Que lindo Ilse :)

Realmente para quê crescer quando podes rachar o queixo pela milésima vez fingindo que voas ou que andas de pónei?

:)

F. disse...

Que lindo Ilse :)

Realmente para quê crescer quando podes rachar o queixo pela milésima vez fingindo que voas ou que andas de pónei?

:)