domingo, 1 de novembro de 2009

Águas passadas não movem moinhos.

Para começar gostava de te poder dizer que ultimamente tenho pensado muito em ti e em como a minha vida teria seguido um rumo diferente se não te tivesse tirado da gaveta e guardado numa caixa debaixo da cama que só abro nestas alturas. A verdade é que agradeço por tê-lo feito, por te ter tirado a ti e ao teu egoísmo inocente, e que ainda assim magoava, da minha gaveta. Sejamos sinceras, sempre tentaste viver por mim, tomando tu as minhas decisões, afastando todos os pedaços de amor alheio que se quisessem instalar, por achares que assim me estavas a proteger. Minha querida, fica sabendo que cada um tem de dar as suas quedas e bater com a cabeça as vezes que forem precisas e que a protecção em demasia torna-se negativa. Ainda assim às vezes sinto-me tentada em tirar-te da caixa e voltar a deixar-te entrar na gaveta, mas não posso, sabes porquê? Porque desde que te mudaste que eu encontrei tantas coisas novas: amor numa forma como nunca antes eu tinha sentido, e corações com tanta vontade de receber como a que eu tenho em dar, caí várias vezes pelos amores alheios que tu tanto querias afastar, perdi-me em (an)danças do coração, encantada com histórias de voos por entre as estrelas que nunca teriam fim, príncipes e princesas vindos de lugares que só o amor sabe inventar, mas nem assim eu desisti. Isso só me fez encontrar no meu coração uma vontade enorme de partilhar e de me dar ainda mais às pessoas, e de perceber que eu estou aqui para fazer o bem e não para viver uma vida atribulada de Hollywood como a que tu tanto idealizavas. Desejo-te a maior sorte em tudo o que queiras fazer da tua vida.
Um beijo,
H. M.

Dobrou a carta em quatro e guardou-a numa caixa de baixo da cama. Mal sabiam as duas o que escondia o futuro naquela altura.

11 comentários:

Débra disse...

ó marianinha, já tinha saudades de ler os teus textos. Adorei mesmo, apesar de não estar dentro do assunto.
Um beijinho *

Qel disse...

«Minha querida, fica sabendo que cada um tem de dar as suas quedas e bater com a cabeça as vezes que forem precisas e que a protecção em demasia torna-se negativa».

E é muito graças a essas quedas que se aprendem verdadeiras lições de vida, eu acho.. *

Beatriz disse...

Gostei muito!!^^

Matilde disse...

Sem palavras!!

Gostei muito :)

Beijo*

U disse...

«Isso só me fez encontrar no meu coração uma vontade enorme de partilhar e de me dar ainda mais às pessoas, e de perceber que eu estou aqui para fazer o bem e não para viver uma vida atribulada de Hollywood como a que tu tanto idealizavas. Desejo-te a maior sorte em tudo o que queiras fazer da tua vida.»

Quando eu encontrei o meu coração e quando percebi que a minha vida é para ser atribulada, não em Hollywood, mas é-o na mesma, senti-me exactamente assim, de coração aberto.
Beijinho Mariana, *

fi, disse...

tens uns phones bonitos e umas bochecas fofas! :D
(devo ter passado por ti umas 4xs hoje. xD)**

Bárbara. disse...

Tens o poder de deixar as pessoas com um sorriso nos lábios, os teus textos são verdadeiros chás para a alma :)

Obrigada :D

Matilde disse...

Adorei

Beijinhos**

(desculpa não ter comentado os eus ultimos posts)

Margarida disse...

adorei o blog!

Vanessa disse...

Que lindo seu Blog *-*. Passa no meu?

Anónimo disse...

Este é o texto mais bonito que já li teu. Talvez porque me toque especialmente.

Beijos.
Júlia.